Cabo Verde destacado como “champion” na obtenção de resultados mais consistentes na evolução dos indicadores de EGOV - relatório das Nações Unidas, 2018

segunda, 04 março 2019 15:38

Estes dados foram apresentados no âmbito da conferência internacional  «Progress of Digital Government Transformation: The 2018 UN e-Government Survey», que decorreu no dia 25 de fevereiro, em Guimarães, Portugal, e que serviu para o lançamento da 1ª edição Portuguesa do Relatório das Nações Unidas sobre o inquérito do EGOV 2018, sob o tema – Orientar o Governo Eletrónico para apoiar a transformação rumo a sociedades sustentáveis e resilientes.

Neste evento, que contou com a participação de organizações internacionais como a ONU e a OCDE. O Ato foi presidido pelo Chefe Governo Digital da UNDESCA, Vicenzo Aquaro, Head UNU-GOV, Delfina Soares, e o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança. O NOSi esteve representado no evento pelo Administrador executivo, Carlos Santos, que participou do Painel “The impact of indexes and measurements on EGOV development – answering the 5WH questions of EGOV assessment and monitoring”

Foram  abordados temas diversos relativos ao progresso internacional no desenvolvimento do governo eletrônico,  e apresentado um estudo de investigação e análise longitudinal (a Longitudinal Analysis of Ten UN e Government Surveys), por especialistas em EGOV da UNU-EGOV, Morten Meyerhoff Nielsen (Dinamarca) e João Martins (Portugal), que apontaram e destacaram Cabo Verde como um dos países “champion”  na obtenção, de longo prazo, de resultados mais consistentes na evolução dos indicadores de EGOV, nomeadamente no índice desenvolvimento de EGOV ( EGDI), dos serviços online (OSI), das infraestruturas e telecomunicações (TII), capital humano das TIC (HCI).

Os consistentes resultados de Cabo Verde, obtidos ao longo dos anos nos indicadores de EGOV, tem vindo a ser, e são, superiores á media dos grupo de países de rendimento médio (PIB), ao grupo de países regional (Africa), ao grupo de países insulares ( SIDS), e ao grupo de países lusófonos, impactando, igualmente, na melhoria de vários outros indicadores de desenvolvimento do País, nomeadamente, da Transparência (3º da região africana), Boa Governação ( 2ª da Região Africana), Democracia ( 2ª da Região Africana), Liberdades ( 1ª da Região Africana), bem como ao nível da competitividade, cidadania e felicidade dos Cabo-Verdianos. Cabo Verde encontra-se no grupo TOP Ten no ranking dos países africanos em EGOV 2018:  Maurícias 66º, Africa de Sul 68º, Tunísia 80º, ilhas Seichelles 83º, Gana 101º, Marrocos 110º, Cabo Verde 112º, Egito 120º, Ruanda 130º, Namíbia 121º.

ranking egov

O Governo eletrónico em Cabo verde tem vindo a ser considerado como pilar estratégico  da Agenda desenvolvimento (PDES) e fundamental eixo da Agenda Digital do País. Os serviços e aplicativos desenvolvidos ao longo dos anos permitiram melhorar significativamente a interação do governo com os cidadãos (G2C), melhorar a gestão interna do próprio governo (G2G), maior integração com parceiros e operadores econômicos (G2B) e funcionários do governo (G2E).

Ainda existe um longo caminho a se percorrer ao nível de progressos alcançar em EGOV e vários desafios a vencer pelo País, designadamente ao nível do desenvolvimento do indicador E- participação, cujos os resultados ainda continuam abaixo da média dos grupos de países e cluster analisados.

O acesso, a utilização e partilha de informação devem ser cada vez mais democrática, transparente e potenciadora da construção da sociedade de conhecimento e desenvolvimento da economia digital.

O alargamento dos ganhos de acessibilidades, a melhoria qualidades serviços online, da concetividade, a redução dos custos de factores, a promoção de capacidades técnicas e tecnológicas são as apostas fundamentais da inovação tecnológica e da agenda digital do País.    

 

© Copyright 2016, Núcleo Operacional da Sociedade de informação - E.P.E. Todos os direitos reservados. | design & concepção: NOSi.